Entertainment

Johnny Depp e Amber Heard: as declarações em tribunal mais polémicas (até agora)


Johnny Depp e Amber Heard em tribunal

Está a decorrer no condado de Fairfax, na Virginia, EUA, o julgamento que coloca frente a frente Amber Heard, de 36 anos, e Johnny Depp, de 58. Depois de um tumultuoso processo de divórcio, o ator processou a ex-mulher por difamação depois de esta publicar um artigo no The Washington Post, em 2018, no qual confessava ter sido vítima de violência doméstica, apesar de nunca ter mencionado, ao longo do texto, o nome de Johnny Depp.

Ao longo dos dias em tribunal, muitas declarações polémicas foram feitas, trazendo a público aspetos a vida privada do ex-casal, que se divorciou em 2016 após um ano de casamento e seis de relação. O julgamento está a ser gravado e transmitido.

Nas declarações iniciais, Depp afirmou que o seu objetivo period “a verdade” e limpar o seu nome, manchado pelas acusações de violência feitas pela ex-mulher, que o prejudicaram a nível pessoal e profissional. Heard respondeu afirmando que espera que obter paz: “Quando este caso encerrar, possa seguir em frente, tal como o Johnny também o possa fazer. Sempre tive amor pelo Johnny e traz-me uma grande dor reviver cada detalhe da nossa vida privada perante o mundo”. 

Em baixo, resumimos os momentos mais polémicos que aconteceram, até ao momento, neste julgamento. 

Amber acusa o ex-marido de violência verbal, física e sexual

No dia 12, os advogados de Amber Heard prestaram declarações e afirmaram que a atriz viveu um inferno durante o casamento com o ator. Relatam que Heard diz que Depp se tornava num “monstro” após consumo de drogas e álcool e que tinha “ataques de raiva” que despoletavam agressões verbais, físicas e sexuais.

Durante a apresentação da defesa, os avogados da atriz relatam um suposto momento violento que terá ocorrido na Austrália, e no qual o ator estaria drogado. “Ele penetrou-a com uma garrafa de licor – é esse o Johnny Depp de que vão ouvir falar nese caso“, garantiu a advogada que representa Heard.

Os representantes de Depp negaram os relatos apresentados e acusaram a atriz de prestar falsas acusações que têm um efeito “devastador” na carreira do ator.

Depp nega alguma vez ter agredido uma mulher

 

Quando chamado à cadeira das testemunhas, Depp diz que as acusações de Heard são “hediondas e perturbadoras”, assegurando ter ficado em choque quando as ouviu pela primeira vez, há cerca de seis anos. “Nunca cheguei a ponto de atingir a sra. Heard de forma alguma, nem jamais bati numa mulher na minha vida”, afirmou.

As mensagens de Depp sobre a ex-mulher

 

A defesa da atriz confrontouo ator com mensagens que enviou sobre a ex-mulher. “Não estou orgulhoso de nenhum dos termos que usava nos momentos de raiva”, proferiu Depp ainda antes de começar a ler os conteúdos que lhe foram dados. Uma das mensagens, enviada em outubro de 2016 ao amigo Isaac Baruch após o pedido de divórcio dizia: “Espero que o cadáver em decomposição dessa vaca esteja na mala de um Honda Civic!” Depp reagiu: “Não tenho a certeza de ter enviado essa mensagem”. O ator justificou ainda que muitas vezes se expressa com “humor negro”.

Noutra mensagem enviada a um segurança em 2015 lê-se: “Temos sido perfeitos. Tudo o que tive de fazer foi mandar o monstro embora e prendê-lo; estamos mais felizes do que nunca”. Palavras que terão sido escritos pouco após o enlace com Heard. Noutra missiva também referiu o “monstro”: “Tranquei o meu pequeno monstro numa gaiola bem cá no fundo e funcionou”.

Foram apresentadas outras mensagens com tom mais agressivo, apelidando Amber Heard de “p*** imunda” e mencionando atos violentos. “Vamos afogá-la antes de a queimarmos”, lê-se noutra, enviada ao ator Paul Bettany.

A ausência dos filho de Depp no casamento com Heard

“A minha filha Lily-Rose não foi ao casamento. Ela e a sra. Heard não tinham propriamente a melhor relação, por vários motivos”, começou Depp a dizer, para explicar que os seus filhos não apreciaram a união que teve com a atriz. 

O ator conta que tanto Lily-Rose como Jack não apreciavam a forma como Amber Heard tratava o pai e diz que a filha chegou mesmo a escrever uma carta à atriz na qual defendia o Depp, por ter ouvido Heard a dizer que este period mau pai.

Depp relata agressões

O ator afirmou que a ex-mulher o “atacava” em momentos de “frustração e raiva”. “Podia começar com uma estalada, podia começar com um empurrão, podia começar ao atirar o comando da televisão à minha cabeça”, disse Depp, alegando que o comportamento de Heard se tornou “constante” durante as discussões. “Não havia necessidade disso. Muitas linhas foram ultrapassadas e tu não conseguias mais ver essas linhas”, continuou.

Depp expôs o início dos comportamentos agressivos. “Eu trabalhava muito e, quando voltava do trabalho, entrava em casa, ela dava-me um copo de vinho, tirava as minhas botas e arrumava-as. Nunca tinha experienciado uma coisa assim na vida. Mas tornou-se algo normal, uma espécie de rotina”, começou por explicar, para de seguida revelar o que aconteceu quando essa rotina foi quebrada: “Uma noite, cheguei a casa e ela estava ao telemóvel. Tirei as minhas botas e de repente a Amber aproximou-se e perguntou exaltada: ‘O que é que acabaste de fazer? O que fizeste?’”. Depp admite que a reação o assustou: “Uma vez que percebes algo deste género, começas a reparar noutras coisas que surgem. Num ano e meio ela tornou-se outra pessoa”, lembrou o ator.

Conta ainda que Heard ficava exaltada quando ele tentava ir dormir antes ou depois de ela se deitar. Afirma que ela tinha comentários depreciativos a seu respeito, chamando-o de “velho gordo”. Que em momentos de maior exaltação empurrava-o, atirava-lhe objetos e agredia-o aos murros. Que se tentava afastar para uma divisão isolada para fugir às agressões e para acalmar os ânimos, mas que isso fazia a ex-mulher o chamar de “cobarde” e “bebé”.  

O vício

Durante o julgamento, Depp admitiu ter lutado contra o vício de álcool, opiáceos, antidepressivos e cocaína. Assumindo estar atualmente “limpo”, foi apoiado pelo médico David Kipper, que o acompanha desde 2014. O especialista foi chamado a depor, comentou notas sobre a recuperação e progresso do ator e apresentou relatos de episódios de recaídas, que supostamente aconteciam quando os problemas com Heard subiam de tom. 

Os advogados de Amber alegam que, quando consumia, Depp se tornava agressivo, soltando aquilo que a atriz apelidava de “monstro”. 

Exemplo de abusos na infância

Johnny Depp afirmou que manteve a relação com Amber Heard, antes de a atriz pedir uma ordem de restrição por violência doméstica contra ele, porque “queria tentar fazer com que funcionasse”. 

Quando questionado pelo seu advogado sobre o motivo pelo qual não deixou a atriz no momento do suposto abuso, Depp, que afirmou ter aprendido a “escolher suas batalhas”, disse que essa period uma “resposta complicada”, ainda que, segundo afirma, tenha pensado que “ninguém pode viver assim”.

“O motivo pelo qual eu fiquei? Acho que foi porque o meu pai também ficou [no seu casamento, que era abusivo]. E eu não queria falhar. Eu queria tentar que o casamento corresse bem. Achei que talvez pudesse ajudá-la, talvez a pudesse recuperar. Porque a Amber Heard que eu conheci no primeiro ano, ano e meio, não era essa, de repente tornou-se numa adversária. Não era minha mulher, passou a ser a minha adversária”, afirmou ainda o ator.

Tanto Johnny Depp como a sua irmã Christi Dembrowski testemunharam em tribunal sobre a mãe, Betty Sue Palmer, ter sido abusiva durante a infância de ambos, inclusivamente com o pai do ator e da produtora.

“Matéria fecal na cama”

Uma discussão durante o dia de aniversário de Amber Heard terá escalado para uma situação insólita. Depp conta que se atrasou para o jantar com a então mulher e amigos por ter estado numa reunião de urgência para se averiguar o destino de milhões de dólares que tinha desaparecido da sua conta. O atraso não terá agradado a Amber, que se terá twister verbalmente agressiva com o ator. 

Mais tarde, o ator foi avisado pela governanta de que tinham sido deixadas fezes no seu lado da cama, que partilhava com Heard. A atriz culpou os cães do marido por tal, mas este não acreditou, falando que se tratava de “matéria fecal humana” e não proveniente de um animal de porte pequeno. “Eles são Yorkies [Yorkshire Terrier] miniatura. Pesam cerca de 4 quilos cada um. Eu vivi com eles, agarrei nos seus dejetos. Não foram os cães!”. Depp diz que suspeita de Amber ou de um dos seus amigos. A atriz nega. 

Dedo cortado durante discussão

Depp relatou o momento em que ficou sem parte do dedo do meio da mão direita. Tudo aconteceu em março de 2015, na Austrália. O ator alega que estava a beber no bar de casa quando Heard surgiu e ficou exaltada. Diz que a ex-mulher lhe atirou com uma garrafa de vodka, que lhe atingiu a mão e provocou o ferimento. 

Conta que na altura mentiu aos médicos, tendo dito que tinha sido ele a cortar o próprio dedo. Quando questionado sobre o motivo de ter mentido, diz que foi para proteger a ex-mulher. Durante este depoimento foram apresentadas imagens muito gráficas.

Vídeo com comportamento agressivo de Depp

Foi apresentado um vídeo no qual o ator surge com um comportamento alterado. Um registro feito pela atriz numa manhã na cozinha, supostamente após uma discussão do ex-casal. Depp surge a bater portas, a dar pontapés a móveis a atirar objetos pelos chão. “Queres ver loucura? Vou mostrar-te loucura! Toda a loucura”, diz o ator. 

Problema com a maquilhagem

O advogado de Amber Heard referiu que, durante o período em que aconteceram as supostas agressões de Johnny Depp, a atriz tinha sempre consigo um package de maquilhagem da marca Milani Cosmetics, de forma a esconder os supostos hematomas com que ficava. “Era isso que ela usava. Tornou-se muito hábil em fazê-lo. Vão ouvir o testemunho da Amber em que ela vai contar como misturava tons diferentes para disfarçar as diferentes contusões à medida que iam ficando com cores diferentes e de como costumava retocá-las para as disfarçar”, afirmou o advogado.

Contudo, estas declarações deram origem a uma situação inesperada. A marca Milani Cosmetics pronunciou-se sobre o assunto e apontou uma incoerência. É que o produto referido em tribunal começou apenas a ser comercializado em 2017, período no qual o ex-casal já estava separado. “As supostas agressões aconteceram entre 2014 e 2016. Eles divorciaram-se em 2016. A data de lançamento da paleta de maquilhagem é de dezembro de 2017”, afirmou a empresa num vídeo publicado na rede social TikTok, garantindo ainda que na altura dos fatos, Amber Heard também não poderia ter amostras prévias do produto, pois estas não foram disponibilizadas.

O áudio em que Heard admite agressões

“Tu não foste esmurrado; foste atingido. Desculpa que te tenha acertado dessa forma, mas não te esmurrei”, ouve-se a voz de Heard num áudio apresentado pela equipa authorized de Depp. Continua: “Não sei qual foi o movimento da minha mão, mas tu estás bem, não te magoei, não te esmurrei, apenas te atingi. Não te posso prometer que não vou voltar a fazê-lo… Deus, fico tão furiosa às vezes, que perco o controlo”.

Noutro excerto, ouve-se: “Não estou para aqui sentada a queixar-me, pois não? Tu estás? Essa é a diferença entre nós. Tu és o raio de um bebé. És tão bebé. Cresce Johnny”. 



Source hyperlink

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close